SapoTelecom
Pesquisar
FacebbokTwitterLinkedinSapo VídeosFoursquareInstagram
LTE vai mudar o futuro
quinta-feira, 8 de Outubro de 2009
A tecnologia 3G Long Term Evolution assume-se como uma alavanca para o desenvolvimento de novos e inovadores serviços.

O futuro das telecomunicações está directamente dependente de evolução de tecnologias móveis. As soluções hoje passam pelo 3G Long Term Evolution (LTE). Nesta tecnologia reside a resposta para o desenvolvimento de novos serviços que prometem revolucionar as experiências de comunicação em todo o mundo. 

Face ao investimento no LTE ,
a questão que se levanta para
Zeinal Bava é:
"It's not if, it's when"
Esta rota de desenvolvimento passa inequivocamente por Portugal, nomeadamente com o investimento da Portugal Telecom nesta área, ao promover dois projectos piloto em Portugal e no Brasil em 2010. Quem o confirma é Zeinal Bava que participou hoje no LTE Fórum 2009. Mas para o presidente executivo, o LTE não se assume meramente como uma tecnologia, já é uma alavanca para o desenvolvimento de novas aplicações.

Com o recurso ao LTE para o upgrade das redes 3G, a PT será capaz de proporcionar aos seus clientes experiências inovadoras, que passam a poder usufruir de velocidades de dados mais rápidas e novos serviços, a qualquer hora e em qualquer lugar. Espera-se mais eficiência e melhor performance. As condições para que os portugueses aproveitem este tipo de oferta complementam-se com o trabalho que a PT tem vindo a desenvolver, nomeadamente através da disponibilização de terminais, como smartphones, a preços competitivos, revela Zeinal Bava.

De acordo com um relatório da CISCO, a taxa de crescimento anual composta do tráfego móvel de dados será de cerca de 125% e o futuro da PT passa por potenciar este crescimento e contribuir para que as tendências de consumo dos clientes, nomeadamente os empresariais, melhorem.

O alerta ficou dado: o comportamento do consumidor português denota uma significativa propensão para a compra e teste de novos serviços e equipamentos, por isso razões não faltam para que novos investimentos sejam atraídos para Portugal, referiu o presidente executivo. E acrescentou: “We are believers…”, logo a questão que se coloca é “It’s not if, it’s when…”.

Através desta nova tecnologia as operadoras garantem a competitividade do 3G para os próximos 10 anos, com uma maior eficiência do espectro em relação às redes 3G/HSPA. O LTE permitirá o acesso de banda larga móvel, fixa e trará vantagens não só para os clientes como também para as operadoras. A capacidade aumenta, a complexidade é reduzida, a par dos custos de implementação e operação. Resultado? Mais e melhores ofertas com uma maior eficiência de custos.

A evolução dos serviços TMN colocou Portugal no terceiro lugar europeu em termos de penetração de banda larga e a tendência é para continuar. Para este resultado contribuíram os bons resultados no que diz respeito à penetração de banda larga móvel e de computadores pessoais, informou o presidente executivo.

A agressiva estratégia da operadora móvel da PT permitiu que a empresa alcançasse uma quota de mercado de 50% na banda larga móvel e de 53% de quota de mercado de smartphones. É na liderança, portanto, que a operadora se posiciona quando é analisada uma segunda onda de crescimento, em termos de serviços de dados, precedida pela primeira em que também é líder nos serviços de voz, com o decisivo lançamento do primeiro pré-pago do mundo, o MIMO.

partilhar notícia