SapoTelecom
Pesquisar
FacebbokTwitterLinkedinSapo VídeosFoursquare
Mais humor com o Sapo e as Produções Fictícias
terça-feira, 2 de Junho de 2009
A parceria Sapo/ Produções Fictícias continua a dar frutos. O humor continua e sai reforçado com mais conteúdos.

Começou como uma aventura. Hoje é já um projecto consolidado. Era desta forma que Abílio Martins, administrador da Portugal Telecom, definia a parceria entre o Sapo e as Produções Fictícias, na conferência de apresentação de novos projectos, que serviu também para assinalar o segundo aniversário da produtora.

O humor português continua em particular destaque na Produções Fictícias TV (PFtv), que se encontra alojada no Sapo, mas agora com uma nova imagem e, ainda, com mais espaço – e exclusivo – para conteúdos de entretenimento.

Estreia, no Verão, o “Caça ao Cómico”, um concurso que permite identificar novos talentos na área do humor. Em paralelo, é lançado o site da série de culto “Paraíso Filmes”, que estreia um episódio por semana. A série, que tem como protagonistas António Feio e José Pedro Gomes, foi inicialmente exibida na RTP. "À Lei da Bola" regressa também em Agosto com os habituais comentários de José Pina, Pedro Marques Lopes e Pedro Ribeiro, a par dos sketches “O Cromo da Bola”, de Luís Franco–Bastos, hoje também conhecido pela participação no programa da RTP, “Os Contemporâneos”. 



A PFtv vive o desafio diário de manter audiências, mas os resultados estão à vista: mais de dois mil vídeos e 10,5 milhões de pageviews. “Nós conseguimos”, dizia Abílio Martins e foi com esta convicção que o administrador sublinhava “a coragem de apresentar novos projectos”. Para a internet, o Sapo pretende conteúdos premium. Uma ambição que volta a ser concretizada com o anúncio destes novos conteúdos.

Abílio Martins referiu-se ao
início da parceria como uma
aventura que já se tornou
num projecto consolidado

Num momento que foi também de balanço, referiu-se que ao mesmo tempo que se viveram “momentos de vertigens”, viveram-se também “concretizações”, alcançadas, por exemplo, com a internacionalização do Sapo. O administrador da PT salientava, ainda, o facto dos conteúdos das PF serem uma referência não apenas na internet, mas também na plataforma móvel, com o Sapo Mobile, e no VideoClube Meo.

Nuno Artur Silva falou de uma mudança
de hábitos com os quais a produtora aprende,
"para fazer evoluir os conteúdos"
“Permanência e continuidade.” As palavras são representativas da parceria, de acordo com Nuno Artur Silva, director das Produções Fictícias, que salientava o facto da produtora se encontrar em constante troca de ideias com o Sapo. O facto desta ser uma aposta de conteúdos em português reforça a força do projecto.

Um projecto que já ganhou espaço na internet onde "se concentram os comediantes emergentes", referiu o director das PF. Abílio Martins recordou o exemplo de Luís Franco-Bastos, que apareceu precisamente através deste meio.

E com a introdução da fibra óptica, anunciam-se "novas aplicações, novos formatos, que permitem outro nível de interactividade e também de qualidade. E também nos conteúdos vai ser possível experimentar novos formatos em alta definição", referiu o administrador. As consequências já são visíveis: “Os meios estão a mudar radicalmente, os hábitos de consumo mudam e também os modelos de negócio. Estamos a fazer essa aprendizagem com pioneirismo e com riscos, para fazer evoluir os conteúdos”, referiu Nuno Artur Silva.


partilhar notícia