SapoTelecom
Pesquisar
FacebbokTwitterLinkedinSapo VídeosFoursquareInstagram
PT aposta na Certificação Energética dos seus edifícios
segunda-feira, 26 de Outubro de 2009
Os edifícios da PT na Rua Andrade Corvo, em Lisboa, e da Tenente Valadim, no Porto já receberam a Certificação Energética.



A Portugal Telecom é detentora dos primeiros grandes edifícios de telecomunicações a serem certificados no país. Os edifícios da Rua Andrade Corvo, em Lisboa, e da Tenente Valadim, no Porto, foram os primeiros a receber a Certificação Energética.

No âmbito da legislação do Sistema Nacional de Certificação Energética e da Qualidade do Ar interior dos Edifícios, a Portugal Telecom começou, no final de 2007, a proceder à aplicação do Sistema de Certificação Energética (SCE) nos quatro edifícios mais consumidores de energia, Picoas, Andrade Corvo, Tenente Valadim e Carnide que já se encontravam sob a égide regulamentar de edifícios altamente consumidores.

Esta legislação enquadra-se na Directiva nº 2002/91/CE do Parlamento Europeu e do Conselho, de 16 de Dezembro de 2002, transposta para o ordenamento jurídico nacional pelo DL n.º 78/2006 de 4 de Abril, e vem obrigar os Estados Membros da UE a implementar um SCE de forma a informar o cidadão sobre a qualidade térmica e eficiência energética em todos os grandes edifícios de carácter público ou de serviços, bem como em todos os edifícios sujeitos a transacções imobiliárias.

O Sistema Nacional de Certificação Energética e da Qualidade do Ar Interior nos Edifícios em Portugal visa proporcionar economias de energia eficazes e significativas melhorias na qualidade do ar interior para os seus utilizadores. Deste modo a PT deu início a um processo de certificação dos seus edifícios, os quais foram auditados durante o ano de 2008 e parte de 2009.

O processo de auditoria foi conduzido por empresas certificadas (ADENE – Agência para a Energia; Direcção Geral de Energia e Geologia, Agência Portuguesa do Ambiente) que determinaram, por meio de Planos de Racionalização Energética, as acções de melhoria qualitativa, nomeadamente medidas e rotinas de manutenção dos sistemas de climatização e energéticos existentes e a implementação de novos equipamentos. Estas medidas adoptadas geram poupanças de energia e melhoria da qualidade do ar interior com retornos de investimento em prazos muito significativos.

Os edifícios de Andrade Corvo, em Lisboa, e da Tenente Valadim, no Porto, foram os primeiros a receber a certificação, ambos de classe C. Com estas duas certificações, a PT torna-se detentora dos primeiros grandes edifícios de telecomunicações, a serem certificados no País. 

Edifício da Tenente Valadim, no Porto

O Edifício Tenente Valadim é o primeiro edifício de telecomunicações no país, e o primeiro com mais de 15.000 m2, a ser energeticamente certificado. O espaço, com uma área total de 19.000 m2, divididos por dois edifícios e 970 utilizadores permanentes, foi alvo de diversas intervenções no sentido de tornar o edifício mais eficiente energeticamente, através da melhoria da qualidade do ar e do conforto térmico dos utilizadores. Depois de um exigente processo o edifício recebeu a classificação energética C.

Edifício Andrade Corvo, Lisboa

O edifício da PT Comunicações na Andrade Corvo tem uma extensão de cerca de 16.920m2. Considerada a segunda maior central telefónica do país e também a segunda maior consumidora de energia, com uma taxa de ocupação técnica de cerca de 25% da área total, vem a sofrer, desde 2006, de uma forma faseada, obras de remodelação profundas nas áreas administrativas e nas áreas técnicas. O objectivo é melhorar as condições ambientais das áreas de trabalho e dotar um aumento de eficácia técnica nas comunicações de voz e dados.

Com o início das auditorias energéticas em 2008, e fruto das obras entretanto realizadas na modernização das instalações e das acções de eficiência energética até aí desenvolvidas, o edifício contemplava uma taxa de 70% de iluminação economizadora de tecnologia T5 e passou a dispor do primeiro sistema de free-cooling, um piloto implementado em centrais.

Os novos sistemas de climatização do edifício vieram contribuir para uma melhoria significativa da qualidade do ar que contribuiu na dispensa de qualquer plano de acção correctiva e uma eficiência energética com um índice energético da classe C.

partilhar notícia