SapoTelecom
Pesquisar
FacebbokTwitterLinkedinSapo VídeosFoursquare
A aposta PT na rede à prova do futuro
sexta-feira, 24 de Julho de 2009
A PT Inovação, em parceria com a Universidade de Aveiro e o Instituto de Telecomunicações, desenvolveu um equipamento óptico 100% português.

O Instituto de Telecomunicações (IT), em Aveiro, foi palco da apresentação de um projecto que coloca Portugal na vanguarda mundial das comunicações ópticas. A PT Inovação, em parceria com a Universidade de Aveiro (UA) e o IT, desenvolveu um equipamento óptico 100% português que vai possibilitar a entrega de internet em fibra óptica com velocidades que podem atingir 10 gigabits por segundo, na casa dos clientes. 

O projecto foi desenvolvido no âmbito dos Planos de Inovação 2007 e 2008, iniciativas que contemplam actividades de inovação tecnológica exploratória da Portugal Telecom e onde a PT Inovação investe, todos os anos, cerca de 6% das suas receitas em projectos com universidades portuguesas e estrangeiras bem como com organismos internacionais de investigação e desenvolvimento (I&D).

Recorde-se que, segundo o relatório emitido recentemente pelo Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a PT foi a empresa que mais investiu em I&D em Portugal, no ano de 2007.

O presidente executivo da PT marcou presença durante a apresentação do projecto e visitou o laboratório do IT de Aveiro, juntamente com Alcino Lavrador, presidente executivo da PT Inovação. Nesse local foi possível assistir a uma demonstração de redes de acesso com velocidades de largura de banda de 700 megabits por segundo e contactar de perto com o protótipo desenvolvido.

Internet à Velocidade da Luz

Denominado de ONT 10 Gb/s (Optical Network Terminal 10 Gb por segundo), o protótipo tem como intuito desenvolver uma solução a baixo custo no sentido de massificar a banda ultra-larga, através da única tecnologia possível para o efeito: a fibra óptica. Esta solução constitui uma resposta tecnológica perante os desafios do futuro e assenta no princípio de atribuir a cada cliente toda a largura de banda disponível, sem partilha com outros clientes. Fruto de um trabalho de 18 meses realizado por uma equipa multidisciplinar de cinco elementos PT Inovação, IT e UA, o equipamento desenvolvido poderá ser lançado comercialmente dentro de cerca de um ano.  

Atenta às necessidades do mercado, a PT Inovação já desenvolveu uma oferta alargada de equipamentos e acessórios para redes de nova geração sobre fibra óptica (GPON – Gigabit Passive Optical Network) e que coloca o país na vanguarda mundial ao nível da melhor prestação em tecnologias de transmissão óptica.
 
Como explicou Zeinal Bava, este projecto vai permitir chegar a “serviços mais integrados” sendo que em “muitas das aplicações e utilizações que vamos fazer, Portugal vai ser pioneiro”. O CEO reforçou que criar uma rede de fibra óptica até casa dos clientes é um desígnio da PT. A empresa não tem como objectivo oferecer uma “caricatura de rede” mas sim dar a opção de total liberdade ao consumidor para usufruir das potencialidades e desempenho de uma rede em fibra. 

Paulo André, chefe da equipa do projecto, referiu que o enfoque nos últimos anos tem sido nas redes ópticas. “Porquê as tecnologias ópticas?” De acordo com o investigador, os requisitos de largura de banda impostos pelo surgimento de novos serviços só podem ser cumpridos com a utilização de fibras ópticas Fiber To The Home (FTTH) assumindo-se como uma tecnologia mais eficiente em termos energéticos. Durante a conferência que decorreu a 23 de Julho, Paulo André apresentou algumas das recentes actividades de colaboração com a PT Inovação nomeadamente o SIRAC (Sistema Integrado para Redes de Acesso da Próxima Geração), LOCO-PON (Low Cost, Passive Optical Networks), Panomara (Sistema de Telecomunicações sustentado em Plataformas Ópticas e de Rádio Avançadas) e o GPON on a Box (solução para redes de acesso de próxima geração).

O anúncio do projecto é “um marco muito importante da nossa colaboração de longa data com a PT Inovação”, salientou José Neves, presidente do IT do pólo de Aveiro. Constituído em 1991, o IT é uma instituição privada sem fins lucrativos que nasceu da parceria entre seis instituições - PT Inovação, Universidade de Aveiro, Universidade de Coimbra, Instituto Superior Técnico e Nokia Siemens. Presente em Aveiro, Coimbra e Lisboa, o instituto tem como missão a criação de disseminação do conhecimento científico e a promoção de formação avançada no sector das telecomunicações. José Neves afirmou que o IT tem vindo a crescer a um ritmo acelerado em número de recursos, financiamento e produtividade.

partilhar notícia