04/02/2021

Altice Portugal promove contacto e proximidade junto de Hospitais e famílias

A pandemia veio mudar completamente a vida dos Portugueses e foi na tecnologia que encontraram um porto seguro para continuarem ligados. A tecnologia e as comunicações assumiram um papel âncora e tornaram-se imprescindíveis, quer para unir os Portugueses, quer para o desenvolvimento das áreas da saúde e da educação, quer para garantir a continuidade dos negócios das empresas.

As circunstâncias atuais impõem à Altice Portugal, líder do setor das telecomunicações, uma responsabilidade acrescida, fazendo-a regressar ao terreno no sentido de contribuir para dar resposta às necessidades originadas pela pandemia. O Hospital Curry Cabral, pertencente ao Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, e o Hospital dos Covões, pertencente ao Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, foram as instituições escolhidas para dar continuidade a esta missão. Através da doação de dezenas de equipamentos de telecomunicações, a Altice Portugal vai assegurar a tecnologia necessária para que os doentes internados, impedidos de receber visitas e privados do contacto externo, possam contactar e ter a oportunidade estarem mais próximos dos seus familiares e amigos.

"Esta casa é de todos nós. É de todos os Portugueses." As palavras são da Dra. Rosa Valente de Matos, Presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central, que admite que as ferramentas doadas são cada vez mais uma necessidade. "A vossa disponibilidade com esta oferta é, sem dúvida, muito importante. Só posso agradecer, em nome dos doentes e dos profissionais, esta iniciativa que é de muito valor, para complementar tudo o que fazemos. Obrigada pelo vosso esforço, pela vossa vinda aqui, pela vossa disponibilidade e por nos ouvirem."

Pôr as pessoas em contacto. "Começámos com estes programas com alguns centros hospitalares há cerca de um ano, no primeiro estado de emergência", afirma Alexandre Fonseca, Presidente Executivo da Altice Portugal. "E nunca parámos, porque queremos contribuir de alguma forma e porque temos a noção de que a tecnologia aproxima as pessoas". De facto, provavelmente no dia imediatamente anterior ao estado de emergência, muitos portugueses não tinham a noção do impacto da tecnologia e das comunicações nas suas vidas, reconhece.

Apesar de, à primeira vista, esta parecer uma ação que toca apenas doentes, na realidade tem impacto também na comunidade médica, revela Alexandre Fonseca, com base na experiência e no feedback que tem obtido no terreno. A pandemia veio mostrar as condições e a pressão a que todos os profissionais do setor da saúde estão sujeitos, acabando por estar também afastados das suas famílias. Ter um mecanismo alternativo, que possam utilizar, para ligarem à família é assim também fundamental. "Todos nós, Portugueses, estamos hoje mais sensibilizados para a importância do trabalho dos profissionais de saúde.."

Aproximar as famílias. "Os tablets vão ser uma mais-valia para a comunicação dos doentes com os familiares. Sobretudo para a equipa de enfermagem, que vive isso mais de perto, e que tem passado muito pelas experiências de despedida entre os doentes e os familiares. Um momento extremamente angustiante, mas que é fundamental para garantirmos alguma humanidade no meio destes cuidados todos", partilha a Médica Assistente Hospitalar de Medicina Interna, Dra. Vera Bernardino. A Dra. Rosa Valente de Matos recorda um caso de sucesso, um exemplo de esperança, um pequeno "milagre", como apelida. “Um senhor, com certa idade, que tinha desistido e já não falava. A enfermeira Susana, responsável pelo projeto Mais Próximo de Si, fez uma ligação com a família e ele ouviu a voz de uma neta a cantar. Pela primeira vez, o senhor abriu os olhos, sorriu, teve três ou quatro dias nos nossos cuidados, teve alta e foi para casa.”  

“Estamos cá, estivemos sempre cá e vamos continuar." Este é o compromisso da Altice Portugal com o país e com os portugueses, e é sob este mote que conta já com inúmeras ações realizadas no âmbito da saúde e da responsabilidade social, inseridas neste contexto em que vivemos. Além de iniciativas de combate ao isolamento de doentes com COVID-19 ou pacientes crónicos de risco, a Altice Portugal associou-se à GNR, no âmbito do programa 65 Longe+Perto, e através de videochamadas promoveu o contacto de idosos com a família. Destaque ainda para a doação de equipamentos a crianças de agregados familiares com baixos rendimentos, para garantir o ensino à distância destes alunos, minimizando as desigualdades de acesso à educação. Enquanto empresa socialmente responsável, a Altice Portugal quer continuar a marcar presença no apoio a todos os portugueses em situação particularmente vulnerável.